Carregando...
JusBrasil - Notícias
24 de outubro de 2014
Finalizar

Aposentadoria de idoso não impede benefício assistencial para outro idoso na mesma família

Publicado por Justiça Federal do Estado do Espírito Santo (extraído pelo JusBrasil) - 6 anos atrás

LEIAM 4 NÃO LEIAM

A Turma Nacional de Uniformização da Jurisprudência dos Juizados Especiais Federais (TNU) não admite incidente de uniformização quando o acórdão recorrido acompanha jurisprudência da Turma. Este foi um dos motivos pelos quais o presidente da TNU, ministro Gilson Dipp, não admitiu incidente interposto pelo INSS contra decisão que manteve acórdão da Segunda Turma Recursal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, a qual concedeu benefício assistencial a idoso em cuja família outro idoso recebia aposentadoria. O INSS alegou ser ilegal a aplicação analógica do artigo 34 da Lei Orgânica da Assistência Social (Loas), segundo a qual somente o benefício assistencial concedido a mais de um idoso na mesma família não é computado para fins de cálculo da renda familiar per capita. Além disso, entendeu não estar comprovada a miserabilidade do autor, uma vez que a renda mensal familiar por pessoa é superior a do salário mínimo.

De acordo com o ministro Gilson Dipp, o acórdão da Segunda Turma Recursal do Rio de Janeiro acompanha entendimento da TNU a respeito da matéria no sentido de não considerar o benefício previdenciário no cálculo da renda mensal familiar para a concessão de benefício assistencial a idoso. Conforme a jurisprudência da Turma, deve ser adotada interpretação sistemática do artigo 34 , parágrafo único , do Estatuto do Idoso , pois a interpretação literal pela qual só pode ser excluído o valor do benefício assistencial, e não do previdenciário, para fins de percepção do auxílio previsto na Loas -, leva a um paradoxo, ou seja, quem nunca contribuiu para a Previdência Social e recebe o benefício assistencial tem o seu valor excluído para fins de percepção do mesmo benefício por outro idoso da família, mas quem contribuiu para o INSS e recebe, na velhice, aposentadoria de um salário mínimo, não teria tal possibilidade. Esta situação, além de violar o princípio da igualdade, infringe, ainda, os limites da razoabilidade, afirma a jurisprudência da TNU.

Em sua decisão, o ministro Gilson Dipp enfatiza, ainda, que a Turma tem tido entendimento semelhante aos julgados do Supremo Tribunal Federal, os quais caminham no sentido de se admitir que o critério objetivo estabelecido pela Loas pode ser conjugado com outros fatores indicativos da miserabilidade do indivíduo e de sua família para a concessão do benefício assistencial.

Processo nº 2005.51.50.000271-4/RJ

(Assessoria de Imprensa do CJF, em 20 de fevereiro de 2008)

0 Comentário

Faça um comentário construtivo abaixo e ganhe votos da comunidade!

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "gritar" ;)

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi. O JusBrasil pode te conectar com Advogados em qualquer cidade caso precise de alguma orientação ou correspondência jurídica.

Disponível em: http://jf-es.jusbrasil.com.br/noticias/125496/aposentadoria-de-idoso-nao-impede-beneficio-assistencial-para-outro-idoso-na-mesma-familia